Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O desafio do feijão: panela de barro, ferro ou pedra?

Agora que meu blog está no site Comidas e Receitas , achei por bem postar mais sobre uma das minhas atividades preferidas: cozinhar.

Depois que descobri que meu post mais lido aqui é justamente o "Cozinhar não coisa de mulherzinha"    percebi  que o tema tem potencial pra crescer (sem deixar de lado outros fatos "importantes" como a anorexia de Angelina Jolie, minha falta de aptidão para sambar e as torturas e delícias de uma sessão de shiatsu).

Resolvi voltar a um assunto recorrente, que já gerou muita discussão regada a cerveja, com amigos e ex-colegas sobre a melhor panela pra fazer feijão.

Durante muito tempo sempre acreditei que a panela de barro fosse a melhor. A minha foi comprada no Espírito Santo, na cidade de Serra, durante uma reportagem  que fiz sobre o Milagre das Formigas Bordadeiras (assunto tão complexo e enigmático que merece um post só pra ele), exibida na TV Bandeirantes. Trouxe a peça enrolada em jornal e plástico bolha, abraçada no avião, com medo de quebrar.

Na estreia da panela, fiz "AQUELE" feijão gordo, com bacon e linguiça, alho frito no azeite e na gordura da carne, folhas de louro e o toque final: um pedaço de madioquinha pra cozinhar junto com o feijão. O truque, além de engrossar o caldo, produz uma mandioquinha saborosa, que pode ser amassada e comida juntamente com arroz e feijão. De dar água na boca!

Sucesso garantido da panela de barro. Refiz o feijão algumas vezes, mas no dia a dia, acabava usando uma panela de inox mesmo e menos gordura. A peça de barro serviu ainda para fazer algumas moquecas e peixes ensopados, até que foi esquecida no canto da cozinha, mofou e agora ostenta uma delicada plantação de suculentas. Virou vaso, tadinha!

Tenho uma panela de ferro em casa, mas que só uso para frituras. Acho que é mais resistente e que esquenta melhor o óleo. Tenho uma certa "aflição" de cozinhar qualquer coisa naquela panela pesada, com a borda preta de tão velha - sei lá, birra mesmo da panela.

Então, fui testar a tal da panela de pedra, sempre muito defendida por um colega que adorava cozinhar em panelas de pedra, quase um retorno ao período Neanderthal. Pedras, afinal, foram mesmo as primeiras "panelas" e assadeiras. E se a raça humana se alimentou com proteína suficiente para fazer com que nosso cérebro ficasse grande e inteligente (na maioria(?) das pessoas), para que nos tornássemos a espécie dominante da Terra, vai ver a pedra deve ter mesmo "vitamina" ou sei lá o que..

Comprei a tal panela Neanderthal em Maringá, cidadezinha estranha: metade fica no Rio de Janeiro, metade em Minas Gerais, na região serrana de Visconde de Mauá. Antes de usar, a panela deve passar por um processo de "cura": você tem que passar óleo em toda peça e na tampa e botar no forno para "assar" por duas horas. Feito isso, é só lavar (deixe esfriar, pelo amor de Deus) e usar.

A panela já estava lá em casa há uns seis meses, mas só no domingo resolvi estreá-la no Desafio do Feijão. Preparei um feijãozinho só no azeite, alho e linguiça. Folhinhas de louro para não dar gases. Só sei que me surpreendi com a capacidade calorífica da peça: depois que a bicha esquenta, já era! O caldo do feijão engrossa que é uma beleza no fogo baixinho. Aí, é só desligar e a panela mantém o alimento quente por muitas horas. Façam o teste.

Só penso que o homem evoluiu tanto, criou tanta tecnologia e materiais resistentes e a panela de pedra continua imbatível na cozinha.  Se os macacos tivessem descoberto isto antes...

Beijos da Chabuca  


7 comentários:

Mantiqueira disse...

Não faço a menor ideia de qual seja a melhor, parei de me concentrar no texto na parte da "mandioquinha saborosa, que pode ser amassada e comida juntamente com arroz e feijão". PELAMORDEDEUS, quando é que vc vai deixar de ser picareta e me convidar para comer isso? Eu levo a cachaça. Uma boa. Juro!

Andrea Martins disse...

Mantiqueira, vc é testemunha ocular e auditiva dos tais debates do Desafio do Feijão. A mandioquinha é mesmo o toque de mestre. Deixa passar este calorão, pra gente poder comer feijão e beber pinga à vontade , e eu faço o feijão pra vc e para o Márcio. Acho que abril é um bom mês!

Mantiqueira disse...

Abril. Fechado. Agenda bloqueada!

Andrea Marques disse...

eu não troco minhas panelas de ferro por nada, são mais resistentes e cozinham por igual pois conduzem o calor por toda a panela. Como também são dificeis de se encontrar sempre compro as minhas no site www.apaneladeferro.com.br . deixo a dica

Andrea Martins disse...

Andrea, obrigada pela dica do site. O post é pra isso mesmo, criar a polêmica para que cada um escolha sua preferida. Vou prestar mais atenção nas panelas de ferro agora. Abs.

Motoboy disse...

é, de fato! mas acho a panela de barro é ainda melhor!! nada melhor do q um feijao feito na panela de barro..hmmm
beijos e boa semana.

Andrea Martins disse...

A escolha é mesmo difícil. O que vale é fazer o feijão com carinho rsss. Vou voltar ao assunto no blog, em breve.